.

.

 Institucional

 Quem somos

 Onde atendemos

 Nossa estrutura

 Corpo clínico

 Serviços prestados

 A que nos propomos

 Nossos fundamentos

 Especialidades
 Ceratocone
 Transplante de córnea
 Ceratopatia bolhosa
 Catarata
 Cirurgia a laser (Lasik)
 Glaucoma
 Vítreo e retina
 Oftalmopediatria
 Estrabismo
 Plástica ocular
.

.

R. Cubatão, 86
Cjs. 107/109
04013-000 - Paraíso
São Paulo - SP
(11) 3885 9193

 
Olho Seco

Olho Seco é uma terminologia utilizada nos casos onde existe uma alteração da quantidade ou da qualidade do filme lacrimal.

É uma das queixas mais freqüentes em nosso centro oftalmológico, com um aumento muito grande nos últimos anos entre os jovens, usuários de computador e, principalmente em ambientes com ar condicionado. Nessas queixas costumam ser referidos cansaço visual, olhos vermelhos, irritação ocular e olho seco em si.

Para um melhor entendimento dessa patologia, é necessário conhecer a fisiologia do filme lacrimal, bem como a composição da lágrima e sua relação com a córnea e com a conjuntiva.

Lágrima

A lágrima exerce várias funções nos olhos. Ela mantém os olhos úmidos, cria uma superfície lisa para a luz a atravessar a córnea, nutre a porção anterior do olho e, oferece proteção contra lesões e infecções.

Em nosso olho produzimos dois diferentes tipos de lágrima, denominados lágrima basal e a lágrima reflexa.

A lágrima basal é composta de três camadas: a camada de mucina, de água e de gordura. A camada de mucina é aquela que fica em contato direto com a córnea, para que seja promovida uma maior aderência da lágrima. Já a camada aquosa fornece hidratação, oxigênio e outros nutrientes importantes para a córnea. Esta camada é a mais espessa, detendo em sua composição 98% de água, juntamente com pequenas quantidades de sais minerais, proteínas, complexos imunológicos e enzimas. A camada lipídica é a mais externa do filme lacrimal e que contribui para evitar a evaporação da lágrima como um todo.

A camada de mucina é produzida na conjuntiva pelas células caliciformes, a camada aquosa é formada pela glândula principal e acessórias e a camada lípídica é formada pelas glândulas de meibômio, glândulas de Moll e Zeis, localizadas na borda palpebral.

Já a lágrima reflexa não é composta por camadas e é produzida por uma glândula localizada na região temporal e superior do olho, denominada glândula principal. A lágrima reflexa é produzida em ocasiões de irritação ocular, como resposta a algum estímulo externo tal como quando se corta cebola, quando cai cisco no olho ou, por emoção, como é o caso da lágrima do choro.



O piscar das pálpebras exerce uma função de estimular a liberação da lágrima basal, espalhar a lágrima por toda a superfície ocular e, direcionar a lágrima para o canto do olho em direção aos pontos lacrimais, de tal forma que essa lágrima que já exerceu sua função, seja drenada através dos canalículos lacrimais e siga para o “saco lacrimal”, localizado sob o osso do nariz, onde ocorre a drenagem e o envio da lágrima para a garganta.


Causas de olho seco

A alteração da qualidade da lágrima faz com que o filme lacrimal evapore muito mais rápido, deixando áreas secas sobre a córnea.

A síndrome do olho seco tem muitas causas. Um dos motivos mais comuns para tal secura decorre simplesmente do processo de envelhecimento normal do ser humano. A sensação de olho seco decorrente de envelhecimento é mais freqüente e acentuada em mulheres após a menopausa, as quais além do olho seco, tendem a também apresentar pele e mucosas em geral mais secas.

Muitos outros fatores, tais como ar quente e seco, vento, ar-condicionado e fumaças de cigarro, podem também ocasionar olho seco. Muitas pessoas também referem estar com seus olhos irritados quando lêem ou trabalham em computador.

Usuários de lentes de contato também podem sofrer de olhos secos, porque as lentes de contato absorvem o filme lacrimal, causando sensação de secura.

Certos medicamentos tais como antidepressivos, anti-hipertensivos, assim como patologias da tireóide, doenças reumatológicas, deficiência de vitamina A, bem como as doenças de Parkinson e de Sjögren, também podem causar olho seco.

Sintomas de olho seco

Os sintomas mais comuns incluem olho vermelho, queimação, ardência e coceira.

Curiosa e, paradoxalmente, olho seco causa excessiva produção de lágrima reflexa. Isso ocorre porque quando a lágrima basal é deficiente, as células da superfície da córnea e da conjuntiva, entram em sofrimento e provocam irritação ocular, estimulando a produção da lágrima reflexa.

É muito freqüente a queixa de se acordar com as pálpebras “grudadas”. Isso ocorre porque durante a noite a produção de lágrima é fisiologicamente muito reduzida pelo fato de nosso organismo entender que durante o sono, devido ao fato de os olhos estarem fechados, a evaporação de lágrima deva ser mínima. Porém, se a produção de lágrima já se encontra reduzida por algum outro motivo, os olhos tenderão a ficar muito ressecados durante a noite, o que ocasiona uma aderência das pálpebras à córnea, o que por sua vez faz com que se provoque uma sensação de areia nos olhos ao se acordar pela manhã.

Diagnóstico

O primeiro passo é que, durante a anamnese (questionário feito pelo Médico ao início de qualquer consulta), o Médico já busque detectar uma causa para a queixa de olho seco do Paciente.

Tratamento

Uma vez diagnosticada a causa, faz-se muito importante tratar-se a doença de base, seja por exemplo através de reposição hormonal em mulheres pós menopausa, seja através de um tratamento paralelo de possíveis doenças reumatológicas associadas e/ou através de troca de medicamentos outros que estejam eventualmente ocasionando a doença (olho seco), etc.

Já o tratamento corretivo ao efeito é normalmente realizado através da instilação freqüente de colírios de lágrima artificial, preferencialmente utilizando-se daqueles que não detém conservantes em suas fórmulas.

Em alguns casos mais severos introduzimos também colírio à base de ciclosporina, os quais atuam nas glândulas, estimulando a produção de lágrima.

Pode também ocorrer a necessidade de que sejam introduzidos Ômega 3 e/ou óleo de linhaça, que também atuam com vistas ao aumento da produção de lágrima, tudo isso, evidentemente que somente sob orientação médica.

Olho seco e irritação ocular durante o uso de computador

No caso de Pacientes usuários de computador algumas recomendações tais como piscar mais, são fundamentais. É muito freqüente que durante um trabalho no computador as pessoas fiquem tão atentas ao trabalho que “esqueçam-se” de piscar. Conforme já anteriormente descrito, o ato de piscar estimula a liberação da lágrima, espalha a lágrima sobre a superfície do olho e, auxilia na drenagem da lágrima já utilizada.

A cada hora de trabalho seguida no computador faz-se recomendável que a pessoa sempre pause para andar e descansar os olhos, por pelo menos alguns minutos.

Se mesmo assim persistir a sensação de olho seco e irritação ocular, é recomendável a utilização durante o trabalho de um colírio de lágrima artificial sem conservante.

    Paulista Vision Center | 2009 www.paulistavisioncenter.com.br
O conteúdo deste site é de propriedade e uso exclusivo da Paulista Vision Center, proibida sua
reprodução ou utilização total ou parcial a qualquer título sem autorização.