.

.

 Institucional

 Quem somos

 Onde atendemos

 Nossa estrutura

 Corpo clínico

 Serviços prestados

 A que nos propomos

 Nossos fundamentos

 Especialidades
 Ceratocone
 Transplante de córnea
 Ceratopatia bolhosa
 Catarata
 Cirurgia a laser (Lasik)
 Glaucoma
 Vítreo e retina
 Oftalmopediatria
 Estrabismo
 Plástica ocular
.

.

R. Cubatão, 86
Cjs. 107/109
04013-000 - Paraíso
São Paulo - SP
(11) 3885 9193

 
Catarata

Definição

O Cristalino é uma lente natural biconvexa que integra a anatomia do olho. Sua função é convergir os raios luminosos para que a imagem seja corretamente focalizada na Retina. Trata-se de uma estrutura não vascularizada, a qual deveria invariavelmente ser incolor e transparente. Mede aproximadamente 4 mm de espessura, 9 de diâmetro, e é como um todo envolvido por uma membrana denominada Cápsula. Encontrando-se localizado atrás da Íris, é suspenso por diversas fibras muito delgadas, cujo conjunto dessas fibras é denominado Zônula. A Zônula objetiva acomodar o Cristalino em uma outra estrutura denominada Corpo Ciliar.

A Catarata nada mais é do que uma opacificação do Cristalino, a qual opacificação provoca um progressivo embaçamento da visão e conseqüente perda de acuidade visual. A Catarata vai tornando a visão progressivamente sombreada e fosca, sem que óculos sejam mais capazes de corrigir a disfunção visual. Certos tipos de Catarata podem também provocar uma significativa piora da visão quando o Paciente é exposto a uma grande luminosidade. Nessas circunstâncias ele normalmente refere dificuldade de dirigir à noite, principalmente quando um carro vem na direção oposta com seus faróis acesos.

Tipos de Catarata

Senil:
É o tipo mais freqüentemente observado onde, com o passar dos anos e, em decorrência de uma alteração de sua fisiologia, é ocasionada uma redução em seu consumo de oxigênio, o que o desidrata tornando-o opaco. A Catarata Senil tende a evoluir de forma lenta, não obstante tal evolução seja progressiva;

Congênita:
A criança já nasce com o Cristalino opacificado. Quando a opacificação é muito intensa a pupila torna-se esbranquiçada sendo o problema facilmente perceptível pelo Pediatra. Além de ser originária de outras doenças, a Catarata Congênita pode por exemplo decorrer de rubéola materna contraída ao longo do primeiro trimestre de gestação;

Traumática:
Quando decorrente de qualquer introdução de corpo estranho que possa atingir o Cristalino, bem como por traumas causados em decorrência de acidentes automobilísticos, pedradas, contusões, etc;

Secundária à doença intraocular:
Quando derivada de outras doenças intraoculares. Nessas circunstâncias ocorre um efeito direto sobre a fisiologia do Cristalino. Doenças intraoculares que normalmente podem causar Catarata Secundária são por exemplo as Uveítes recorrentes graves, Glaucoma, Descolamento de Retina, etc;

Catarata associada à doenças não oculares:
A Catarata pode estar associada à determinadas doenças como Hipoparatireoidismo, Dermatite Atópica, Síndrome de Werner, Síndrome de Down, dentre outras;

Medicamentosa:
Provocada pelo uso excessivo de corticóide, o qual é encontrado em remédios ministrados quer sob a forma de colírio, quer por via oral. Nesse tipo de Catarata a opacificação em geral ocorre na porção posterior do Cristalino, piorando muito a visão na presença de luz intensa, tal como por exemplo ocorre no caso de dias muito ensolarados ou, à noite, quando há exposição a farol de veículos automotores.

Interpretação equivocada cometida por leigos

Não é totalmente incomum que as pessoas leigas em Oftalmologia confundam Pterígio Catarata, o que representa um total equívoco. O Pterígio caracteriza-se pelo espessamento de um tecido que recobre a parte branca do olho (conjuntiva), o qual espessamento tende a proliferar-se sobre córnea sob a forma de membrana. Como se percebe pelo anteriormente descrito, trata-se de duas patologias totalmente distintas uma da outra.

Cirurgia de Catarata nos dias atuais

É importante ser enfatizado que não existe tratamento clínico para Catarata. Tal tratamento tem que invariavelmente ser cirúrgico.

Atualmente, a técnica empregada na cirurgia de catarata é a de Facoemulsificação. Nessa técnica realizamos uma pequena incisão de 2,0 a 3,0 mm no limbo (transição entre a esclera e a córnea), através da qual introduzimos um instrumento que, via emissão de ondas de ultrassom, fragmenta o núcleo do Cristalino, ao mesmo tempo em que irriga e aspira esses fragmentos. Em todo esse contexto, a Cápsula tem de ser mantida íntegra para que possa ser introduzida uma lente intraocular (dobrável), através da pequena incisão mencionada acima. Já dentro da cápsula, a lente então se abre, no mesmo local onde anteriormente se encontrava o Cristalino que foi fragmentado e removido.

A evolução da técnica cirúrgica acabou com um antigo mito de que a Catarata tinha que “amadurecer” para que somente então fosse realizada a intervenção cirúrgica. Tal mudança de conceito ocorreu a partir do momento em que o cristalino opacificado deixou de ser extraído inteiro, como assim o era feito através da técnica cirúrgica anterior, denominada extra-capsular.

É muito importante ser ressaltado que, através de um exame oftalmológico denominado Biometria Ultrassônica, o qual é realizado anteriormente à cirurgia de catarata, o grau da lente intraocular é previamente determinado de forma inclusive a corrigir a Miopia ou a Hipermetropia existente antes da cirurgia.

Recuperação no pós-operatório

Em razão de a incisão cirúrgica ser extremamente pequena, a recuperação no pós-operatório faz-se em geral bastante rápida e sem intercorrências, quando pela técnica extra-capsular anteriormente mencionada tal recuperação nunca se dava em período inferior a três meses.

O Futuro da Cirurgia de Catarata

Ainda em fase bastante experimental, encontra-se em desenvolvimento um aparelho que emitirá raios laser para fragmentar o Cristalino, assim como um material que deverá preencher a cavidade intra-capsular onde o cristalino se aloja. No futuro, esse material substituirá a tão mencionada lente intraocular. O propósito será o de que essa nova sistemática aperfeiçoe ainda mais a capacidade de acomodação pós-cirúrgica.

    Paulista Vision Center | 2009 www.paulistavisioncenter.com.br
O conteúdo deste site é de propriedade e uso exclusivo da Paulista Vision Center, proibida sua
reprodução ou utilização total ou parcial a qualquer título sem autorização.