.

.

 Institucional

 Quem somos

 Onde atendemos

 Nossa estrutura

 Corpo clínico

 Serviços prestados

 A que nos propomos

 Nossos fundamentos

 Especialidades
 Ceratocone
 Transplante de córnea
 Ceratopatia bolhosa
 Catarata
 Cirurgia a laser (Lasik)
 Glaucoma
 Vítreo e retina
 Oftalmopediatria
 Estrabismo
 Plástica ocular
.

.

R. Cubatão, 86
Cjs. 107/109
04013-000 - Paraíso
São Paulo - SP
(11) 3885 9193

 
LASIK - Cirurgias Refrativas a Laser

Avaliação Pré Operatória

O resultado da cirurgia estará diretamente ligado a uma correta indicação cirúrgica e, de um criterioso planejamento previamente desenvolvido.

Pacientes usuários de lente de contato rígida ou gelatinosa devem descontinuar o uso da lente durante uma semana antes da avaliação e exames pré-operatórios.
Alguns exames são mandatórios tais como:

1) Refração:

É imperativa a realização de uma criteriosa análise das refrações estática (sob cicloplegia, com dilatação da pupila) e dinâmica (sem dilatação da pupila) onde, as duas em conjunto irão determinar com precisão o grau de miopia, astigmatismo ou hipermetropia necessários à correção.

2) Ceratometria:

Fornece uma medição da curvatura da córnea central em dioptrias ou em milímetros, sendo importante enfatizar que córneas muito planas não são as ideais para cirurgia de correção de miopia, da mesma forma que córneas muito curvas não são as ideais para correção de hipermetropia.

3) Topografia Computadorizada de Córnea:

Também chamada de Ceratoscopia Computadorizada, é o exame indicado através do qual realiza-se uma análise qualitativa e quantitativa (de intensidade) do astigmatismo corneano.

É importante a utilização dessa ferramenta para efeito de avaliação pré-operatória, mesmo nos casos onde o paciente possa até não manifestar qualquer astigmatismo na refração. Através da topografia obtém-se uma análise de imagem, variável de acordo com o grau de curvatura da córnea.

Possíveis astigmatismos existentes são classificáveis mediante as seguintes características qualitativas:

a) Astigmatismo Regular, onde os dois meridianos principais encontram-se em ângulos retos;
b) Astigmatismo Irregular, onde os eixos não se encontram em ângulos retos ou, quando existe qualquer variação da superfície refrativa corneana;
c) Astigmatismo Simétrico, onde a córnea apresenta uma mesma curvatura ao longo de um meridiano;
d) Astigmatismo Assimétrico, onde a córnea apresenta diferente curvatura em um dos hemimeridianos do mesmo meridiano.

É importante ser ressaltado que a condição ideal para a cirurgia refrativa é a de que um astigmatismo quando presente, seja regular e simétrico.

Cuidados especiais devem ser atribuídos em situações onde haja astigmatismo presente na refração, porém ausente (ou diferenciado) na topografia de córnea. Isso implicita em que exista a presença de astigmatismo lenticular (do cristalino) e não da córnea (ou somente da córnea).

Em situações como as descritas acima, uma tentativa correção através do LASIK poderia agravar a situação do paciente vez que a correção aplicável nesses casos deveria ser feita de forma isolada para cada um dos dois tipos de astigmatismo mencionados acima.

4) Paquimetria de Córnea:

É um exame através do qual avalia-se a espessura da córnea. Quando do planejamento cirúrgico, três espessuras devem ser levadas em consideração: a espessura da lamela; a profundidade demandada de ablação; e, a projeção da espessura do leito corneano pós-ablação, o qual leito não deverá ser inferior a 200 mm de espessura.

Principalmente em pacientes com alta miopia onde há necessidade de uma significativa profundidade de ablação, a córnea deverá ser suficientemente espessa para que haja segurança na ablação a ser realizada, tomando-se principalmente em consideração o leito residual mínimo acima referenciado.

5) Mapeamento de Retina:

É um exame que objetiva avaliar a retina posterior e periférica. Em razão de o míope, por exemplo, possuir a retina mais delgada, tal fato pode contribuir para o aumento da probabilidade de que ele possa ter "buracos" ou degenerações de retina, os quais nesse caso devem ser sempre tratados anteriormente à realização da cirurgia refrativa;

6) Outras avaliações:

Durante a consulta inicial também é necessário realizar-se cuidadosa avaliação do filme lacrimal e do cristalino já que, tanto olhos desprovidos de boa lubrificação lacrimal (olho seco), como opacidades do cristalino (catarata) contra-indicam a cirurgia de LASIK.

Um outro aspecto a ser cuidadosamente considerado é o diâmetro da pupila. Caso pacientes com pupilas de diâmetros superiores a aqueles normalmente aceitos como seguros venham a realizar cirurgias refrativas, tais pacientes poderão apresentar dificuldade visual em condições onde, embora havendo baixo nível de luminosidade, possam existir luzes fortes contrárias, tal como por exemplo ocorre quando dirige-se um veículo à noite.

Há finalmente que se ressaltar que após os 40 anos começa a presbiopia ("vista cansada para perto"), onde o míope passa a enxergar melhor de perto quando tira os óculos. Assim, na medida que a cirurgia de miopia é realizada "zerando" o grau para longe, automaticamente o paciente passa a ter necessidade de usar óculos para perto. 

Leia também:

    Paulista Vision Center | 2009 www.paulistavisioncenter.com.br
O conteúdo deste site é de propriedade e uso exclusivo da Paulista Vision Center, proibida sua
reprodução ou utilização total ou parcial a qualquer título sem autorização.