.

.

 Institucional

 Quem somos

 Onde atendemos

 Nossa estrutura

 Corpo clínico

 Serviços prestados

 A que nos propomos

 Nossos fundamentos

 Especialidades
 Ceratocone
 Transplante de córnea
 Ceratopatia bolhosa
 Catarata
 Cirurgia a laser (Lasik)
 Glaucoma
 Vítreo e retina
 Oftalmopediatria
 Estrabismo
 Plástica ocular
.

.

R. Cubatão, 86
Cjs. 107/109
04013-000 - Paraíso
São Paulo - SP
(11) 3885 9193

 
Oftalmopediatria

A visão é um dos mais importantes sentidos que relacionam a criança com o meio ambiente. Qualquer disfunção que leve a um déficit visual poderá levar a uma dificuldade no aprendizado e no relacionamento social.

Como a criança não detém a capacidade apropriada de explicar aos pais que sua visão eventualmente é ruim, ela deve ter sua acuidade visual avaliada pelos pais e pelo Pediatra logo nos primeiros meses de vida e, reavaliada posteriormente, a cada dois anos, pelo Oftalmologista. Dessa forma é possível prevenir-se um prejuízo no desenvolvimento visual, intelectual, motor e psicológico.

A acuidade visual das crianças vai se desenvolvendo gradativamente, alcançando níveis iguais aos dos adultos ao redor dos quatro anos de idade.

No entanto, a visão de cada olho, assim como a visão binocular, só estará plenamente desenvolvida por volta dos oito aos dez anos de idade, o que deverá permanecer durante o resto de sua vida. São fundamentais portanto, a identificação e o tratamento precoces da redução de acuidade visual, procurando-se que aos dez anos de idade a criança atinja a melhor visão possível.

Como os pais são as pessoas mais próximas da criança, conjuntamente e, com o auxílio do Pediatra, podem observá-la e acompanhá-la ao longo do seu desenvolvimento. Serve como exemplo o ato de observar-se constantemente se o bebê acompanha com seus olhos objetos que encontram-se em movimento. Essa pequena observação será de extrema valia na prevenção das doenças oculares da infância.

Como exemplo da importância do ato de observar o comportamento da criança, mencionamos um caso onde a mãe observou que seu bebê não saía de debaixo da mesa, quando ele já se locomovia por conta própria. Ela desconfiou e, após trazer seu bebê em nosso Centro Oftalmológico, foi verificado que ele era alto hipermétrope, tendo sido necessário prescrever-lhe um óculos com 20 (vinte) graus de hipermetropia. Quer seja, na realidade ele não saía de debaixo da mesa por total falta de nitidez em sua visão o que o tornava inseguro e acuado.


    Paulista Vision Center | 2009 www.paulistavisioncenter.com.br
O conteúdo deste site é de propriedade e uso exclusivo da Paulista Vision Center, proibida sua
reprodução ou utilização total ou parcial a qualquer título sem autorização.